Inteligência Artificial: 4 passos para usar nos negócios

In Blog by EllyLeave a Comment

De acordo com algumas previsões da IDC os gastos mundiais com Inteligência Artificial continuarão seu crescimento de forma exponencial.

Um estudo da consultoria apontou que em 2022 os investimentos chegarão a US$ 77,6 bilhões, mais que o triplo do previsto para 2018 que é de US$ 24 bilhões. A taxa de crescimento composto (CAGR) para o período de previsão 2017-2022 será de 37,3%.

De fato, isto prova que todos estão buscando Inteligência Artificial e a necessidade de que exista uma implementação ética aumentou junto com a preocupação dos consumidores com essa nova tecnologia.

A transparência dos dados coletados por essas inteligências artificiais são o foco dos últimos meses devido as questões do GDPR, na Europa e a lei geral de proteção de dados – LGPD, no Brasil.

A SAGE, multinacional britânica, divulgou o documento “Construindo uma Economia de Inteligência Artificial Competitiva e Ética”, aborda algumas questões que ainda estavam sem resposta quando o assunto é Inteligência Artificial. 

O documento, que possui mais de 3 milhões de clientes em 23 países, foi compilado com a participação de empresas globais e representantes do governo e delineia alguns direcionamentos ​​para empresas e sociedade alavancarem tecnologias baseadas em inteligência artificial de maneira ética, confiável e sustentável.

A SAGE listou nesse documento 4 passos importantes para usar Inteligência Artificial nos negócios:

1 – Introdução da governança corporativa de inteligência artificial e um enquadramento ético para a sua aplicação.

As empresas devem desenvolver e rever suas diretrizes, tendo os governos o papel de reguladores para apoiar setores específicos na implementação das melhores práticas.

2 –  Desmistificar a AI.

Envolver especialistas em ética para explorar como a responsabilidade da IA se aplica em ambições corporativas específicas.

3 – Introdução da governança corporativa de inteligência artificial e um enquadramento ético para a sua aplicação.

Enquanto as empresas devem manter as suas partes interessadas a par dos seus avanços e objetivos no que respeita ao uso da AI, os governos devem realizar campanhas de sensibilização para reduzir a inibição diante da tecnologia na vida cotidiana.

4 – Integrar AI no desempenho das forças de trabalho

Os departamentos de recursos humanos deverão integrar o uso de dados nos seus processos, de modo a monitorar as exigências do mercado de trabalho e as qualificações dos possíveis futuros empregados.

Por parte das administrações, deverá assegurar-se que os jovens terminem a sua formação com o conhecimento e capacidades suficientes em matéria de inteligência artificial que lhes permitam uma integração competitiva no mercado de trabalho.

Sua empresa ja esta seguindo essa tendência? Fale conosco e saiba como começar a usar I.A. no seu negócio.

Fonte: Computerworld.